26/11/2014

Interfaces do Disco Rígido



Assim como uma placa de vídeo é ligada em um slot PCI (encaixe para instalar uma placa de vídeo) é ligado em um slot ISA (encaixe para instalar uma placa de modem), para poder comunicar-se com o restante do sistema, o disco rígido precisa estar ligado a alguma interface. 

Uma interface de disco nada mais é que um meio de comunicação, é uma estrada por onde trafegam os dados que entram e saem do HD, é a parte do computador onde são armazenados os dados.

O disco rígido é uma memória não-volátil, ou seja, as informações não são perdidas quando o computador é desligado, sendo considerado o principal meio de armazenamento de dados em massa


Quais as diferenças entre IDE, SATA e SATA II?

Padrão IDE
O IDE, do inglês Integrated Drive Electronics, foi o primeiro padrão que integrou a controladora com o Disco Rígido. Os primeiros HDs com interface IDE foram lançados por volta de 1986 e na época isto já foi uma grande inovação porque os cabos utilizados já eram menores e havia menos problema de sincronismo, o que deixava os processos mais rápidos.
SATA
SATA ou Serial ATA, do inglês Serial Advanced Technology Attachment, foi o sucessor do IDE. Os Discos Rígidos que utilizam o padrão SATA transferem os dados em série e não em paralelo como o ATA. Como ele utiliza dois canais separados, um para enviar e outro para receber dados, isto reduz (ou quase elimina) os problemas de sincronização e interferência, permitindo que frequências mais altas sejam usadas nas transferências.
Os cabos possuem apenas sete fios, sendo um par para transmissão e outro para recepção de dados e três fios terra. Por eles serem mais finos, permitem inclusive uma melhor ventilação no gabinete. Um cabo SATA pode ter até um metro de comprimento e cada porta SATA suporta um único dispositivo (diferente do padrão master/slave do IDE).
Cabo de transferência de dados SATA
Existem dois padrões de controladores SATA: o SATA 150 (ou SATA 1.5 Gbit/s ou SATA 1500), o SATA 300 (SATA 3.0 Gbit/s ou SATA 3000) e o SATA 600 (ou SATA 6.0 Gbit/s). Este último é a terceira geração desta tecnologia e foi lançado em Maio de 2009 e são melhor aproveitados por Discos rígidos de Estado Sólido.
E o SATA II?
É chamado de SATA II ou SATA 2, basicamente todos os produtos da segunda geração do SATA (aquela com especificação de 3.0Gbit/s). A diferença entre o SATA e o SATA II é a basicamente a velocidade para transferência de dados.
Pinos X Velocidade
Para uma melhor visualização, organizamos uma tabela com a quantidade de pinos e a velocidade da taxa de transferência de dados destes padrões.
Pinos e velocidade de transferência

Um comentário:


  1. Olá, boa noite!
    Vim conhecer e seguir o seu blog.
    Suas postagens são muito interessantes.
    Um beijo e sucesso. Feliz 2015. Bjs

    http://juliana-editions.blogspot.com.br/2015/01/precisa-de-ajuda-com-o-blog.html

    ResponderExcluir

Popular Posts

Pesquisar este blog